Telefone (38) 3221-1332


Endereço: Rua Barão do Rio Branco, 608, Centro - Montes Claros

acebook

De que são feitos os adoçantes?

Admin

Alguns já vêm prontos da natureza. É o caso do steviosídeo, mais conhecido como stévia, extraído de uma plantinha consumida tradicionalmente pelos índios brasileiros. Outros surgiram em laboratório - vários deles por acidente. O aspartame, por exemplo, foi descoberto em pesquisas para um remédio contra a úlcera. Isso ocorreu em 1965, quando o químico americano Jim Schlatter deixou cair nas mãos uma combinação de aminoácidos por ele desenvolvida. Quando levou um dedo à boca, sentiu um gosto extremamente doce: estava criado o popular adoçante usado em refrigerantes light. O primeiro dos adoçantes artificiais - a sacarina, de 1879 - e o ciclamato, de 1937, também foram descobertos assim, numa casual lambida de dedos. É bom lembrar que nem todos esses produtos são feitos para dieta.
Muitos deles contêm calorias (veja a tabela) mas, como não são açúcar comum, podem ser usados por diabéticos. "O metabolismo dessas substâncias não requer insulina, o hormônio que os diabéticos não produzem adequadamente", diz o bioquímico Franco Lajolo, da USP. Além disso, americanos e europeus consumiram sacarina avidamente durante as duas guerras mundiais, porque o açúcar ia para as tropas. Por fim, esses produtos podem ter também outras serventias. O xilitol, por exemplo, previne o surgimento de cáries. Por isso, é utilizado em chicletes e até em pastas de dente.